Este artigo foi publicado em abril de 2020, durante a Pandemia do COVID-19.

Enquanto a pandemia do COVID-19 causava muitos sofrimentos e mortes em todo o mundo, nas últimas semanas, os cristãos aguardavam ansiosamente pelo domingo de Páscoa, com sua promessa de uma nova vida.

Agora que o feriado chegou e se foi, os cristãos podem ser tentados a apenas seguir em frente. Com as dimensões do sofrimento em todo o mundo e realidades demonstrando que o pior ainda não passou, seria fácil deixar de lado a alegria e a esperança da Páscoa. Mas a ressurreição de Jesus não é reservada a um único domingo. A Páscoa pode ter passado, mas a esperança da ressurreição é nova a cada manhã, porque Jesus ressuscitou fisicamente dentre os mortos.

Jesus morreu por nossos pecados, ressuscitou fisicamente dentre os mortos e apareceu a muitas testemunhas oculares, fatos registrados nos evangelhos e nas epístolas. No Novo Testamento, a esperança é uma expectativa confiante de que Deus cumpriu e cumprirá suas promessas de redenção para seu povo e para o mundo em seu Filho, Jesus Cristo.

Os cristãos precisam especialmente se lembrar desse fato durante os tempos de sofrimento. Como o próprio Paulo atesta, porque fomos justificados pela fé em Jesus Cristo, temos paz com Deus e esperança em Deus quando sofremos (Rm 5.1–5). Essa esperança "não nos deixa decepcionados" (v. 5, NTLH).

Entendo como pode ser difícil manter a ressurreição em primeiro plano quando a morte nos ameaça, e também ameaça ...

Subscriber access only You have reached the end of this Article Preview

To continue reading, subscribe now. Subscribers have full digital access.