Em 26 de junho de 2000, a emissora de TV americana ABC exibiu um documentário chamado The Search for Jesus. O principal apresentador da rede, Peter Jennings, entrevistou acadêmicos liberais e conservadores especialistas em cristianismo primitivo a respeito daquilo que podemos saber, historicamente, sobre a vida, a morte e a ressurreição de Jesus. A série terminou com uma declaração decisiva da especialista em Novo Testamento Paula Fredriksen, que não é cristã.

Comentando as aparições pós-ressurreição de Jesus, Fredriksen disse:

As palavras [das testemunhas] me mostram que elas viram o Jesus ressuscitado. É o que elas dizem e todas as evidências históricas posteriores atestam sua convicção de que foi o que viram. Não estou dizendo que elas realmente viram o Jesus ressuscitado. Eu não estava lá. Não sei o que elas viram. Mas, como historiadora, sei que devem ter visto alguma coisa.

Em outras palavras, ela está admitindo que as melhores evidências históricas disponíveis confirmam que seguidores de Jesus, como Maria Madalena, seu irmão Tiago, Pedro, os outros discípulos e até um inimigo (Paulo) estavam absolutamente convencidos de que Jesus, o homem que havia sido crucificado, lhes apareceu vivo, ressuscitado dentre os mortos.

Fredriksen não está sozinha ao supor que esses seguidores devem ter visto alguma coisa. Praticamente todos os estudiosos da Bíblia do mundo ocidental, a despeito da crença religiosa, concordam que os primeiros seguidores de Jesus acreditavam que ...

Subscriber access only You have reached the end of this Article Preview

To continue reading, subscribe now. Subscribers have full digital access.