Clique Aqui e faça o download do nosso devocional diário “O Evangelho do Advento”.

Leia Isaías 40.1-5

À medida que buscamos compreender esta bela passagem, seu significado para a comunidade judaica pode nos abrir uma janela para entender melhor seu contexto e significância. O povo judeu em todo o mundo passa por um ciclo de leitura bíblica semanal, semelhante ao lecionário cristão. As semanas mais negras do ciclo caem no meio do verão, conduzindo ao dia de Tisha B’Av, o mais triste do calendário judaico. Ele evoca a memória da destruição do primeiro e do segundo templo em Jerusalém. Tisha B’Av também marca inúmeras outras tragédias ao longo da história judaica. É um dia de jejum e luto. O livro das Lamentações é lido publicamente e o pecado de Israel diante de Deus é revelado.

Mas este não é o fim da história. Imediatamente após Tisha B’Av, o ciclo de leitura entra em sete semanas de consolo, levando ao Rosh Hashanah, o Ano Novo Judaico. A leitura de Isaías 40.1-26 é designada para a semana após Tisha B’Av, oferecendo um lembrete de que o julgamento não é a palavra final. A cada ano, o povo judeu caminha pelas trevas da repreensão divina e é então conduzido à lembrança de que a graça e o perdão de Deus acabam vencendo. Eles emergem de uma época de cinzas e desespero seguindo em direção a uma nova promessa do amor inabalável de Deus.

Isaías escreveu durante a expansão do Império Assírio e no fim do Reino de Israel (e eventualmente Judá). Foi uma época tumultuada e trágica, que Isaías retrata com imagens assustadoras. No entanto, Isaías sabia que este não seria o destino final de Israel. Sua descrição da restauração é igualmente visionária, incutindo esperança e perseverança em um povo que, sitiado pela batalha, duvidava da presença de Deus em seu meio.

As palavras de Isaías também apontam para o auge da revelação divina no Novo Testamento e o papel desempenhado por João Batista, que é identificado como “o que clama no deserto” (Mt 3.3). A referência ao árduo serviço de Jerusalém que é completado e seu pecado que é pago (Is 40 2) um dia se tornaria verdade para todas as nações, pois Jesus proclamou que todas as pessoas na terra são agora convidadas a um relacionamento de aliança com Deus.

Os contornos desta nova aliança inaugurada pela vida, morte e ressurreição de Jesus espelham a aliança que Israel conhecia há muito tempo. Embora haja repercussões para o pecado, o perdão e o compromisso de Deus para com seu povo são renovados continuamente, como ondas quebrando na praia. Que possamos avançar para o conforto da presença e das promessas de Deus enquanto aguardamos a revelação completa de sua glória, assim como Isaías profetizou.

Jen Rosner é professora assistente afiliada de teologia sistemática no Fuller Theological Seminary e autora de Finding Messiah: A Journey Into the Jewishness of the Gospel.

[ This article is also available in English español Français 简体中文 한국어 Indonesian 繁體中文, and русский. See all of our Portuguese (Português) coverage. ]

Boletins gratuitos

Mais boletins