Jump directly to the Content

News & Reporting

Tempo com Deus: quem tem mais probabilidade de fazer devocionais diários

Pesquisa revela que ao menos dois terços dos fiéis reservam um tempo devocional todos os dias, mas as práticas variam.
|
English
Tempo com Deus: quem tem mais probabilidade de fazer devocionais diários

Nota da edição em português: este artigo fala sobre pesquisa realizada com o público norte-americano, porém, pode conter informações interessantes para a igreja como um todo.

A maioria das pessoas que frequentam igrejas protestantes ao menos passa um tempo a sós com Deus diariamente, mas o que elas fazem nesse tempo e os recursos que usam varia muito.

De acordo com um estudo da Lifeway Research, aproximadamente 2 a cada 3 fiéis protestantes ao menos passam intencionalmente um tempo a sós com Deus todo dia, sendo que 44% deles dizem que passam tempo uma vez por dia e 21% dizem que passam mais do que uma vez por dia.

Em paralelo, 17% dos fiéis dizem ficar a sós com Deus várias vezes por semana, e 7% dizem ficar uma vez por semana. Outros admitem ficar a sós com Deus algumas vezes por mês (5%), uma vez por mês (2%), menos de uma vez por mês (3%) ou nunca (1%).

O tempo dedicado parece ser diferente para diferentes fiéis, mas é mais provável eles falarem com Deus por meio da oração do que ouvirem a Deus por meio de sua Palavra.

Frequentemente, os fiéis oram com suas próprias palavras (83%), agradecem a Deus (80%), louvam a Deus (62%) ou confessam pecados (49%). Menos de 2 a cada 5 fiéis leem a Bíblia ou algum devocional (39%). Menos ainda repetem uma oração fixa (20%), consideram as características de Deus (18%) ou fazem outra coisa (1%).

Mas se os fiéis fossem ler algo durante seu tempo a sós com Deus, a maioria leria uma Bíblia impressa (63%). Outros leriam a Bíblia em um formato diferente, como uma Bíblia com comentários ou com reflexões devocionais (25%) ou leriam a Bíblia por meio de um aplicativo (20%).

Menos de 1 a cada 3 fiéis diz que leria um livro devocional que cita apenas trechos das Escrituras (32%) e menos ainda dizem que leriam um livro devocional que não tenha passagens das Escrituras (8%). Ainda assim, outros dizem que leriam um devocional em um aplicativo (7%) ou leriam outra coisa (3%).

Frequência do tempo devocional

Quando se trata de passar um tempo a sós com Deus, as mulheres (48%) são mais propensas do que os homens (38%) a dizer que esse é um hábito diário para elas. Os fiéis do Sul do país (49%) também estão entre os mais propensos a dizer que passam um tempo a sós com Deus diariamente.

Um a cada quatro batistas (25%) diz passar um tempo a sós com Deus mais de uma vez por dia. E os que são adeptos das crenças evangelicais (30%) são mais propensos a dizer o mesmo do que aqueles que não são adeptos (15%).

A frequência à igreja também é um indicador da frequência do tempo devocional. Aqueles que frequentam os cultos pelo menos quatro vezes por mês (26%) são mais propensos a dizer que passam tempo a sós com Deus mais de uma vez por dia do que aqueles que frequentam os cultos de uma a três vezes por mês (13%).

“Vemos um padrão nas Escrituras de seguidores de Deus que se retiram para passar um tempo a sós com ele. O próprio Jesus Cristo também fazia isso”, disse Scott McConnell, diretor executivo da Lifeway Research. “A maioria dos frequentadores de igrejas protestantes continua a ter essa interação relacional com Deus e usa para isso vários recursos.”

Preferências em termos de oração

Quando passam um tempo a sós com Deus, alguns preferem orar com suas próprias palavras, enquanto outros preferem repetir uma oração fixa. Os fiéis mais jovens — com idades entre 18 e 34 anos (31%) e 35 e 49 anos (26%) — são mais propensos a dizer que repetem uma oração fixa, durante seu tempo a sós com Deus, do que aqueles com 50 a 64 anos (16%) e acima de 65 anos (11%). E os que têm de 50 a 64 anos (85%) e acima de 65 anos (89%) são mais propensos a dizer que oram com suas próprias palavras do que os que têm de 18 a 34 anos (77%) e de 35 a 49 anos (77%).

“Existem muitas razões para fazer uma oração fixa. Quer alguém esteja orando a oração modelo que Jesus nos deixou quer esteja repetindo o mesmo pedido a Deus todos os dias, isso pode ser significativo”, disse McConnell. “Ao mesmo tempo, as Escrituras também registram Salmos e orações em seus relatos narrativos que mostram como podemos ser pessoais e diretos ao falar com Deus com nossas próprias palavras.”

As mulheres (86%) são mais propensas do que os homens (79%) a orar com suas próprias palavras. E os fiéis do Sul do país (86%) são mais propensos a orar com suas próprias palavras do que os do Nordeste (77%).

As crenças evangelicais e a frequência à igreja também são fatores que influenciam como uma pessoa prefere orar. Aqueles que frequentam os cultos pelo menos quatro vezes por mês são mais propensos a orar com suas próprias palavras do que aqueles que frequentam menos (85% vs 79%). Mas aqueles que vão ao culto de uma a três vezes por mês são mais propensos a repetir uma oração fixa do que aqueles que vão com mais frequência (24% vs 16%).

Os adeptos de crenças evangelicais são mais propensos a orar com suas próprias palavras do que aqueles que não são adeptos (92% vs. 76%), enquanto estes últimos são mais propensos do que os primeiros a repetir uma oração fixa (22% vs 16%).

Preferências em termos de prática

O que significa passar um tempo a sós com Deus é algo que varia de pessoa para pessoa. Mas existem alguns indicadores de quais práticas são mais importantes para os diferentes grupos demográficos de pessoas.

Enquanto as mulheres são mais propensas a dizer que louvam a Deus do que os homens (66% vs 57%) ou que leem a Bíblia ou algum devocional (42% vs 36%), os homens são mais propensos do que as mulheres a dizer que consideram as características de Deus (21% vs 16%) quando passam tempo a sós com ele.

Os frequentadores de igreja mais velhos — aqueles com 50 a 64 anos (45%) e com mais de 65 anos (42%) — são mais propensos a dizer que leem a Bíblia ou algum devocional quando passam tempo a sós com Deus do que aqueles com 18 a 34 anos (32%) e 35 a 49 anos (34%). E aqueles com mais de 65 anos são os menos propensos a dizer que consideram as características de Deus (10%).

As crenças evangelicais e a frequência à igreja também são indicadores das preferências de uma pessoa em passar tempo a sós com Deus. Aqueles que mais frequentam os cultos (quatro ou mais vezes por mês) são mais propensos a louvar a Deus (67% vs 53%), a confessar pecados (55% vs 38%) ou a ler a Bíblia ou algum devocional (46% vs 28%) do que aqueles que frequentam os cultos de uma a três vezes por mês.

E os que são adeptos de crenças evangelicais são mais propensos a agradecer a Deus (87% vs 74%), a louvar a Deus (76% vs 51%), a confessar pecados (64% vs 38%) ou a ler a Bíblia ou um devocional (52% vs 29%) do que aqueles que não são adeptos de tais crenças. Mas estes últimos são mais propensos do que os primeiros a considerar as características de Deus (20% vs 15%).

“Um estudo anterior sobre discipulado da Lifeway Research mostrou que louvar e agradecer a Deus é um dos cinco principais preditores de elevada maturidade espiritual”, disse McConnell. “Esta é uma prática comum entre os fiéis quando estão a sós com Deus.”

Preferências em termos de recursos

Vários fatores influenciam o que um fiel deseja ler, quando passa um tempo a sós com Deus. Os adultos mais jovens (de 18 a 34 anos) são os mais propensos a ler as Escrituras em um aplicativo (40%) e os menos propensos a ler um livro devocional que cita apenas trechos das Escrituras (21%). E as mulheres são mais propensas do que os homens a dizer que preferem ler um devocional em um aplicativo (9% contra 4%).

“Os cristãos de hoje têm mais recursos do que nunca para ajudá-los a passar tempo com Deus e sua Palavra”, disse McConnell. “À medida que novos recursos são criados, estes podem encorajar alguém que, sem essa inovação, não teria passado tempo com Deus. Mas também existe uma forte relação entre passar tempo a sós com a Palavra de Deus e adorar com frequência na companhia de outras pessoas que possam nos encorajar em nossa caminhada com Deus”.

E os que são adeptos de crenças evangelicais são mais propensos a dizer que leriam a Bíblia (78% vs 52%), se fossem ler alguma coisa em seu tempo a sós com Deus, do que os que não são adeptos. E estes últimos são mais propensos do que os primeiros a dizer que leriam um livro devocional que não traga citações das Escrituras (11% vs 3%) ou que leriam as Escrituras em um aplicativo (22% vs 17%).

Enquanto aqueles que frequentam um culto pelo menos quatro vezes por mês são mais propensos a dizer que leriam a Bíblia em seu tempo devocional (70% vs 52%) do que aqueles que frequentam o culto de uma a três vezes por mês, estes últimos são mais propensos do que os que vão ao culto com mais frequência a dizer que leriam um devocional em um aplicativo (9% vs 5%).

Traduzido por Mariana Albuquerque

Editado por Marisa Lopes

-

[ This article is also available in English. See all of our Portuguese (Português) coverage. ]

March
Support Our Work

Subscribe to CT for less than $4.25/month

Read These Next

close