Jump directly to the Content

News & Reporting

Morre Jack Hayford, pastor pentecostal que escreveu ‘Majesty’

O líder quadrangular enfatizou o louvor e escreveu o cântico de adoração mais popular da década de 1990.
|
English
Morre Jack Hayford, pastor pentecostal que escreveu ‘Majesty’
Image: Jack Hayford Ministries / edits by Rick Szuecs
Jack Hayford

Jack Hayford, líder da Igreja Quadrangular que ensinou aos evangélicos que Deus está entronizado entre os louvores do seu povo, morreu no domingo (8 de janeiro), aos 88 anos.

Hayford foi pastor por muitos anos da Igreja no Caminho, em Van Nuys, Califórnia; autor de “Majesty” [no Brasil, Adorai em Majestade] e mais de 500 outros cânticos de louvor e adoração; e foi também o quarto presidente da Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular. Ele ministrava regularmente para pastores seminários de uma semana que expandiram e moldaram a visão de adoração dos evangélicos. Hayford convenceu uma ampla gama de pessoas não apenas a levantar as mãos ocasionalmente enquanto orava e a aceitar a glossolalia como uma linguagem especial de oração, mas também, o que é mais importante, a ver a adoração como algo central para a obra da igreja.

“A adoração tem sido muitas vezes mal interpretada como um prelúdio musical”, escreveu Hayford, “e não como o meio pelo qual nós, enquanto povo de Deus, convidamos o domínio de seu reino a ser estabelecido na Terra. Salmos 22.3 diz que o rei dos reis está literalmente ‘entronizado’ entre nossos louvores. Onde quer que o povo de Deus se reúna para adorar, nos tornamos uma habitação para a sua presença”.

Hayford foi um pentecostal que construiu pontes, foi pastor de pastores, e muito fez para promover práticas de renovação carismática. Mesmo pessoas historicamente céticas em relação ao pentecostalismo foram atraídas por Hayford.

“Acho que os pastores sentem nele o que desejam ser”, disse Lloyd Ogilvie, um ministro presbiteriano que trabalhou em estreita colaboração com Hayford, em 1989. “Ele está enraizado no cristianismo histórico, tem o fogo e o dinamismo de um carismático, entende a relevância da responsabilidade social, e tem a capacidade de mobilizar os indivíduos. […] Geralmente não se encontram todas essas qualidades combinadas em uma só pessoa.”

Certa vez, a CT o chamou de “pentecostal padrão - ouro”, citando o fundador da Charisma Media, Stephen Strang, que disse: “O pastor Jack se enquadraria em uma categoria de estadista quase sem igual”.

Hayford nasceu em Los Angeles, em 1934, e foi o filho mais velho de Jack Hayford e Dolores Farnsworth Hayford.

Seus pais não eram cristãos e não oraram, quando Jack, ainda bebê, desenvolveu uma enfermidade nos tendões do pescoço que poderia ser fatal. Um primo de Farnsworth, no entanto, entrou em uma igreja quadrangular em Long Beach, Califórnia, sabendo que a denominação pentecostal, fundada por Aimee Semple McPherson, acreditava em milagres e que um dos quatro “quadrados” do evangelho que a igreja ensinava era a cura. O primo deixou na igreja um papel com o nome e o diagnóstico de Hayford e pediu às pessoas que orassem.

Eles disseram que orariam.

“No dia seguinte, meus pais começaram a perceber que as coisas haviam mudado”, disse Hayford, compartilhando seu testemunho 80 anos depois. “Nos dias seguintes, o médico disse: ‘Este bebê está bem. Não há nada de errado com ele.’ E o médico não só declarou que eu estava curado, como se recusou a aceitar o dinheiro dos meus pais para pagar as poucas parcelas que iria cobrar, porque, disse ele, ‘não tive nada a ver com a cura deste bebê. Isso deve ter sido algo que Deus fez.’”

Os pais de Hayford louvaram a Deus pela cura. Um ano depois, eles foram à mesma igreja e aceitaram a Jesus, enquanto a congregação cantava: “Whoever will may come” [hino cristão norte-americano].

O pai de Jack Hayford deixou a igreja pouco tempo depois, entretanto, quando ouviu duas mulheres comentando sobre seu hábito de fumar. Ele ficou afastado da igreja por uma década. Dolores Hayford, sua mãe, não ia à igreja sem o marido, mas frequentava os estudos bíblicos (e com o tempo tornou-se professora e passou a ensinar a Bíblia) e insistia que seus filhos frequentassem a escola dominical. Como a família se mudava, o jovem Jack foi enviado para igrejas Quaker, Metodista, Presbiteriana, da Aliança Cristã e Missionária e Quadrangular.

Hayford aceitou Jesus pessoalmente aos 10 anos. Ele discerniu um chamado para o ministério na escola secundária, mas duvidou de seu chamado, quando seus professores o pressionaram a ir para uma faculdade estadual para estudar ciências ou jornalismo ou ambos. No último momento, com o incentivo de um professor luterano, Hayford decidiu ir para uma escola bíblica, em vez de ir para uma faculdade estadual. Ele voltou para o sul da Califórnia e se matriculou no Faculdade Bíblica L.I.F.E., da Igreja Quadrangular.

Ele conheceu e se casou com Anna Smith na faculdade. Ambos se tornaram ministros da Igreja Quadrangular e trabalharam com o departamento de jovens da denominação nacional até 1969, quando os Hayfords se tornaram pastores de uma congregação em Van Nuys.

Esta havia sido uma das primeiras igrejas quadrangulares, mas, no final dos anos 60, estava diminuindo e só podia alegar uma frequência regular de cerca de 25 pessoas. O lugar parecia sufocante e Hayford se perguntou, por um tempo, se ele havia cometido um erro terrível.

Então, ele sentiu-se movido a purificar a igreja com louvor.

“Enquanto eu caminhava pelo santuário”, ele recordou mais tarde, “eu dizia: ‘Louvado seja o teu nome, Jesus, aleluia, Senhor!’ e batia palmas —‘Louvado seja o teu nome, ó Jesus, aleluia’. Eu literalmente cantava as palavras, batendo palmas. Eu estava consciente de que estava desafiando algo na atmosfera daquele lugar.”

Hayford fez isso por mais de um ano até que, em um domingo, a igreja começou a mudar e o espírito do lugar parecia diferente, como se houvesse ar para respirar novamente. Depois disso, a igreja começou a crescer. Hayford convenceu-se da centralidade da adoração na vida da igreja.

Ele também mudou sua visão em relação aos não pentecostais, algo que se mostraria crítico durante o restante de seu ministério. Hayford descreveu isso como uma revelação. Ele estava parado em um semáforo, perto da Igreja no Caminho, e viu uma igreja batista na esquina. Ele sentiu que Deus lhe dizia para orar por aquela igreja e sentiu um grande amor pelos batistas.

Então, uns dias depois, ele viu uma próspera congregação católica e percebeu que sentia ciúmes da igreja. Ele perguntou a Deus por que ele permitia que uma igreja que estava errada sobre coisas importantes florescesse. E sentiu a resposta de Deus: “Por que eu não ficaria feliz com um lugar em que, todas as manhãs, o testemunho do sangue de meu Filho é levantado do altar?” Hayford se comprometeu a construir pontes da igreja pentecostal para outros cristãos e a se conectar com eles sempre que possível, para louvar a Deus.

A igreja de Hayford cresceu para uma frequência semanal de cerca de 10 mil pessoas, até o final da década de 1980. Sua influência foi além de Van Nuys, com seus livros, seu envolvimento no Promise Keepers e em outras organizações paraeclesiásticas, bem como as palestras que ministrava em conferências sobre adoração.

Em A History of Contemporary Praise & Worship [Uma história sobre o louvor e a adoração contemporâneos], os estudiosos Lester Ruth e Lim Swee Hong dizem que Hayford se tornou o mais conhecido mestre de teologia e prática de louvor e adoração, apresentando a muitos a “liturgia” pentecostal que fluía do canto congregacional a falas durante o louvor, oração em pequenos grupos criados espontaneamente e instrução bíblica, tudo voltado para a adoração a Deus.

Pode ser que as ideias de Hayford sobre adoração tenham se difundido ainda mais, no entanto, com seu cântico de adoração mais popular, “Majesty ”. De 1989 a 1994, essa foi a música mais cantada nas igrejas americanas, mais do que qualquer outra, de acordo com dados da Christian Copyright Licensing International [Empresa que disponibiliza informações e recursos para igrejas e detentores de direitos autorais]. Permaneceu entre as 10 mais cantadas até o início dos anos 2000. O cântico “Majesty” também foi publicado em 34 hinários, entre publicações das igrejas batista, anglicana e metodista episcopal africana.

“Então exaltai, levantai nas alturas o Nome de Jesus”, diz a música. “Magnificai, vinde glorificar, Jesus Cristo, o Rei. / Majestade, adorai a Sua Majestade. / Jesus morreu e é agora glorificado, o Rei de todos os reis!”

Hayford escreveu essa música durante as férias, na Inglaterra. Ele e a esposa, Anna, visitaram o Palácio de Blenheim, local de nascimento de Winston Churchill. Isso inspirou Hayford a pensar sobre a “autoridade do reino” que tinham os cristãos. Ele pensou em como Jesus veio não apenas para perdoar pecados, mas também para ajudar a humanidade a restabelecer sua “relação real” com o Rei dos reis.

“‘Majesty’ também é uma declaração do fato de que nossa adoração, quando feita em espírito e em verdade, pode nos alinhar com Seu Trono de tal forma que Sua autoridade do Reino flua para nós — para em nós transbordar, nos libertar e ser canalizada através de nós”, escreveu Hayford.

Hayford também exerceu uma crescente autoridade terrena entre pentecostais e evangélicos. Em 1997, ele lançou uma série de TV na Trinity Broadcasting Network chamada Teach Us to Pray [Ensina-nos a orar], e alguns anos depois iniciou uma série de rádio. Em 1996, ele fundou o King's College and Seminary, em Los Angeles, que também tinha uma Escola de Cuidado Pastoral e, por mais de uma década, ofereceu cursos intensivos populares para pastores, uma vez por mês.

Hayford recusou por duas vezes a nomeação para presidente da Igreja Quadrangular, mas foi finalmente persuadido a aceitar o cargo em 2004, quando o presidente anterior, Paul Risser, foi forçado a renunciar depois de perder 15 milhões de dólares em dois esquemas de investimento fraudulentos. Risser foi contratado para substituir John Holland, que também perdeu dinheiro no que a igreja considerou uma “falha grave em administrar segundo as normas estabelecidas”. Hayford tirou a denominação do escândalo, reestruturou a liderança e estabeleceu uma base financeira para a denominação.

Como pastor de pastores de outras igrejas além da Igreja Quadrangular, Hayford também concordou em ajudar a restaurar ao ministério vários homens que tinham caído em desonra. Ele fez parte da equipe que concordou, em 2007, em trabalhar com Ted Haggard, o presidente da Associação Nacional de Evangélicos que confessou ter comprado metanfetamina de um prostituto.

“Ele tem a capacidade de pegar pastores que estão esgotados ou frustrados ou o que quer que seja”, disse um dos membros do conselho da igreja de Haggard, “de pegar alguém que está passando por algo tão difícil quanto a situação de Ted Haggard, e tratar do que precisa ser tratado.”

Haggard abandonou o processo de restauração após um ano. Em 2022, ele foi acusado de abusar sexualmente de vários jovens em sua nova igreja.

Hayford, por sua vez, alertou líderes da igreja a não confiarem demais nas estruturas formais de responsabilização e controle. Um ministério frutífero tinha de ser fundamentado em oração e comunhão com Jesus, estudo regular da Bíblia, pureza pessoal e autodisciplina. O relacionamento do pastor com Deus, dizia ele, é a única garantia segura.

“Em última análise”, disse ele a CT, “é a única coisa que manterá minha transparência perante qualquer outra pessoa — minha esposa, minha congregação e até perante mim mesmo”.

Randy Remington, atual presidente da Igreja Quadrangular, disse que Hayford foi um dos grandes líderes da história da denominação.

“Na família Quadrangular, nós ‘penduramos a chuteira dele’, por assim dizer. Nunca haverá outro Jack Hayford”, disse Remington à Charisma. “O pastor Jack foi um embaixador do Reino cuja influência transcendeu as fronteiras denominacionais, geracionais e globais.”

Hayford foi precedido por sua esposa, Anna, que morreu em 2017. Ele deixa sua segunda esposa, Valarie, e quatro filhos: Rebecca, Jack III, Mark e Christa. A Igreja Quadrangular está preparando um culto memorial online.

-

[ This article is also available in English. See all of our Portuguese (Português) coverage. ]

January/February
Support Our Work

Subscribe to CT for less than $4.25/month

Read These Next

close